e-Commerce B2B

Tipos de e-Commerce: B2C, B2B, B2G, B2E, B2B2C, C2C

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

e-Commerce é toda forma de transações digitais de compra e venda, via Internet. Dependendo de quem vende e de quem compra, ele possui características bastante peculiares, além de tecnologias, modelos de negócio e processos que podem ser diferentes.

Por isso, a depender de quem está vendendo e quem está comprando, o mercado classifica os diferentes modelos de negócio do e-Commerce em suas siglas: B2C, B2B, B2E, B2G, B2B2C, C2C, etc.

Para facilitar o entendimento e comparação, veja abaixo as principais siglas e o que cada uma significa:

B2C (Business to Consumer)

Este é o tipo mais comum, é o modelo de venda tradicional do varejo. A venda que uma loja faz diretamente ao cliente final. Quando um cliente entra num site e compra seu tênis, se livro, sua geladeira ou mesmo seu ingresso de cinema a transação é classificada como venda de varejo ou B2C.

B2B (Business to Business)

Este é o oposto do B2C. Enquanto no B2C é uma empresa vendendo para um cliente final, aqui estamos falando de negócios entre empresas. Um distribuidor pode comprar seus produtos de um fabricante ou importador, uma loja pode repor seu estoque deste distribuidor ou diretamente da indústria que fabrica o produto.

Qual a grande diferença? É que entre empresas, existem muito mais detalhes como níveis de desconto pelo porte das compras, vendas faturadas com limites de crédito, impostos diferentes dependendo do estado ou tipo de empresa, etc.

Apesar que nos Estados Unidos, o B2B movimenta já mais que o dobro do volume financeiro do B2C, no Brasil o B2C ainda é o modelo mais conhecido.

Segundo a Forrester, a estimativa é que o e-Commerce B2B chegue a movimentar U$ 1,1 tri até 2020.

e-commerce b2b movimenta 1 tilhao ate 2020

B2E (Business to Employee)

Este é uma variação do B2C. É quando uma empresa faz a venda para seus próprios funcionários. Que normalmente tem acesso a preços diferenciados do varejo tradicional, normalmente tem limites de compra e em alguns casos podem fazer desconto em folha.

B2G (Business to Government)

Este modelo é quando uma empresa vende para o Governo. Poderia ser considerada uma venda B2B, porém existem diversas regulamentações e regras que devem ser respeitadas por imposições de lei.

B2B2C (Business to Business to Consumer)

Quando uma empresa faz negócios com outro visando uma venda para o cliente final. Por exemplo, uma loja de informática pode fazer uma venda para seu cliente final utilizando o próprio sistema do distribuidor, que por definição não pode vender para o cliente direto.

C2C (Consumer to Consumer)

É quando um site intermedia transações diretamente entre um consumidor e outro. Normalmente sites de leilões como eBay e Mercado Livre caem nesta condição. As pessoas não compram seus produtos do Mercado Livre, elas compram de outras pessoas que anunciam eles lá.

 

Previous post

5 ingredientes que levam um E-Commerce B2B ao fracasso

Next post

10 Diferenças entre plataforma de e-Commerce B2B e B2C

Mauricio Di Bonifacio

Mauricio Di Bonifacio

Empreendedor e co-Founder da Fast Channel e da Vertis. 20 anos de experiência no mercado digital, atuando na tranformação digital do canal de vendas, através de iniciativas e-Commerce B2B e B2C.
Especialista em levar empresas para o mundo digital, aliando vendas, marketing digital e tecnologia. Participou de alguns dos principais projetos de e-Commerce no Brasil em empresas como Fast Shop, Camicado, Goodyear, Della Via Pneus, Arcelor Mittal, Giuliana Flores, Zelo, Preçolandia, MMartan, Corona dentre outros.
Tem muita experiência em inovação, startups, venda online, marketing digital, tecnologia e gestão de equipes multidisciplinares.
Mestrado e graduação pela USP, é palestrante, escritor e professor, além de editor dos portais Universo B2B, Transformação Digital B2B e Mauricio Di Bonifacio e Leilão Imóvel

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *